“Dá-nos sabedoria, ó Deus!”

“Bem-aventurado o homem que encontra sabedoria, e o homem que adquire conhecimento, pois ela é mais proveitosa do que a prata, e dá mais lucro do que o ouro. Mais preciosa é do que os rubis; tudo o que podes desejar não se compara a ela” (Provérbios 3:13-15).

Há uma canção secular muito conhecida no Brasil, na qual vejo verdade, cujo título e refrão dizem: “é preciso saber viver” (Roberto Carlos). A sabedoria está, juntamente com a fé, como um dos pilares fundamentais para o homem conhecer a Verdade absoluta, que é JESUS CRISTO. A Bíblia Sagrada faz menção a vários homens que se destacavam pela sabedoria que possuíam: Noé, José do Egito, Moisés, Samuel, Davi, Jó, Isaías, João Batista, Pedro e João (esses dois apesar de terem sido pescadores se tornaram sábios), Paulo e tantos outros. Mas nenhum recebeu um destaque especial pela grande sabedoria que detinha como Salomão, filho e sucessor do rei Davi, e autor de mais de 3000 mil provérbios e 105 cânticos. O nome Salomão significa pacífico, mas não foi pela busca nem pela transmissão da paz que ele ficou conhecido. Salomão pediu algo que talvez muitos hoje em dia não atentassem a pedir: pediu sabedoria. E assim DEUS fez: “DEUS deu a Salomão sabedoria e muitíssimo entendimento, e larga inteligência como a areia que está na praia do mar. A sabedoria de Salomão era maior do que a de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios” (1 Reis 4:29-30).

O próprio JESUS, Filho de DEUS, fez referência a essa sabedoria ao fazer uma dura advertência aos escribas e fariseus, considerados os maiores doutores da Lei judaica na época: “A rainha do Sul se levantará no dia do Juízo com esta geração, e a condenará; pois veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui, está quem é maior do que Salomão” (Mateus 12:42). Foi Salomão também, no décimo ano do seu governo, quem construiu o opulento e belíssimo Templo para DEUS, o qual durou sete anos para ser erguido, palácios reais e muitas naus. A Sabedoria de Salomão rompeu fronteiras e atraiu a atenção de muitos outros reis poderosíssimos. Um exemplo disso foi a visita da Rainha de Sabá, na Arábia, a qual, depois de saber de sua fama, procurou-o para prová-lo nos enigmas mais complicados: “Salomão lhe respondeu a todas as suas perguntas; nada lhe houve difícil demais que não soubesse explicar” (2 Crônicas 9:2).

Houve grande riqueza material no período em que Salomão esteve à frente do Governo do povo de Israel, a ponto da mesma rainha afirmar após se maravilhar com toda a magnificência: “Foi verdade a palavra que ouvi na minha terra, acerca dos teus feitos e da tua sabedoria. Porém eu não acreditava naquelas palavras, até que vim, e vi com os meus olhos. Deveras, não me disseram metade; sobrepujaste em sabedoria e bens a fama que ouvi. Bem-aventurados os teus homens, bem-aventurados estes teus servos que estão sempre diante de ti, que ouvem a tua sabedoria!” (1 Reis 10:6-8). Imagino o semblante estupefato da rainha ao proferir estas palavras… Mas por que Salomão se tornara um homem extraordinariamente sábio? As três razões, as quais vamos expor adiante, devem servir de parâmetro para nossa vida nos dias de hoje. Devemos nos espelhar nas boas atitudes dos homens de DEUS, que, ao seu tempo, deixaram-nos um grande legado de valores morais e espirituais.

                                      Salomão fora considerado sábio:

1)  Porque amava a Deus, o Sábio dos sábios. O amor que Salomão tinha por DEUS era algo indiscutível. Ele vira tudo o que o Senhor havia feito de maravilhoso na vida e no reinado do seu pai, Davi. Salomão cria que o Senhor DEUS era fiel suficiente para derramar também sobre ele as profundas bênçãos que havia derramado sobre Davi. O amor dele por DEUS fê-lo andar nos Seus caminhos e guardar os Seus estatutos: “Salomão amava ao Senhor, andando nos estatutos de Davi, seu pai, mas nos altos oferecia sacrifícios e queimava incenso” (1 Reis 3:3). Aprendemos aqui que é impossível amar a DEUS sem buscar a Sua Santa vontade. João, em sua primeira Epístola, escreveu bem sobre a relação do Amor com as atitudes: “Aquele que diz: eu o conheço (a Deus), e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade” (2:4). Portanto, o amor muito antes de ser um sentimento é comportamento, medido pelas atitudes do homem em relação ao seu Criador.

2)  Porque era humilde. Mesmo sendo conduzido a um cargo de grande responsabilidade, Salomão não se fez de rogado nem permitiu que a soberba tomasse conta de sua alma. Antes, ele sabia que pelas suas próprias forças e conhecimento não seria capaz de conduzir o Povo de Israel nos caminhos de justiça e de verdade. Portanto, Salomão admitiu a sua insuficiência e a sua fraqueza, revelando, consciente da grande causa que lhe fora colocada em suas mãos, a sua incapacidade humana de administrar o seu destino: “Agora, ó Senhor meu Deus, tu fizeste reinar o teu servo no lugar de Davi, meu pai. Mas eu sou apenas um menino pequeno, e não sei como sair, nem como entrar” (1 Reis 3:7). No livro de Tiago, no Novo Testamento, há a confirmação: “Quem entre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom procedimento as suas obras em mansidão de sabedoria” (3:13). Por isso, Salomão, ao amar a DEUS e ao reconhecer diante do PAI a sua fraqueza, tornou-se forte e sábio. Não procure resolver os dilemas de sua vida pelo seu próprio esforço. O que nós adquirimos como bons fundamentos de vida é muito pouco para a perfeita condução de uma vida com tantos obstáculos e problemas enormes. Só JESUS pode nos dar a direção certa. Ele “é o Caminho” (João 14:6) de Sabedoria que não só nos faz pisar em terra firme como nos garante vida eterna com DEUS. Seja humilde. A humildade é ponto de partida para quem quer ser sábio de verdade.

3)  Porque ele soube pedir. Salomão teve propósitos grandiosos. Mas sabia que riquezas materiais nem seculares não eram suficientes para obtenção do êxito de tudo o que planejou. Ele necessitava de algo mais, de um tesouro que não era e nem podia ser vendido em nenhum mercado do mundo e que nenhum centro de estudos era capaz de produzir, por melhor desenvolvimento tecnológico que tivesse: a sabedoria. Salomão recebeu sabedoria quando pediu que DEUS fosse a sua fonte de sabedoria: “Portanto, dá ao teu servo um coração entendido para julgar o teu povo, para prudentemente discernir entre o bem e o mal. Pois quem poderia julgar este teu grande povo?” (1 Reis 3:9). No versículo seguinte, vemos o resultado por ter pedido corretamente a DEUS: “Esta palavra pareceu boa aos olhos do Senhor, por haver Salomão pedido tal coisa”. A Bíblia nos revela o segredo: “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e não censura, e ser-lhe-á dada” (Tiago 1:5). Foi o que Salomão fez. Daí os maiores poderosos terem se curvado diante da grandeza espetacular a que ele produzia. E a sabedoria que DEUS deu a ele foi uma sabedoria prática, descrita na suntuosidade de suas realizações. A sabedoria para caminhar e enfrentar as grandes adversidades do dia-a-dia no mundo ou entre os irmãos na igreja; a sabedoria para decidir algo quando formos chamados; a sabedoria para deixar de fazer quando necessário e, principalmente, a sabedoria para entrar na presença do PAI. A verdadeira sabedoria nos reveste das bênçãos espirituais que estão guardadas para nós no céu. Em Mateus está escrito: “Buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (6:33). Há muita igreja por aí direcionando os seus cultos para a busca dos bens materiais, interpretando equivocadamente alguns versículos bíblicos. São lugares onde as pessoas não se firmam por aquilo que DEUS é, mas no que ELE pode dar. Por isso, a palavra que vem dos púlpitos é letra morta, sem o toque do Espírito Santo; e o povo, que se alimenta dessa palavra, vive sem qualidade espiritual.

Agora preste bem atenção: Salomão foi um rei importantíssimo nos 40 anos que passou sob a liderança dos israelitas e, como vimos, de uma sabedoria extraordinária. Mas o fim de Salomão está descrito no livro de Reis: “então dormiu Salomão com os seus pais, e foi sepultado na cidade de Davi, seu pai. E Roboão, seu filho, reinou em seu lugar” (1 Reis 11:43). JESUS afirmou que ELE era maior do que Salomão (Mateus 12:42) e advertia aos maiores religiosos daquele tempo a ouvirem a Sua voz e a seguirem os Seus mandamentos. O aviso de JESUS é claro e simples e também se destina a você: Alguém maior que Salomão hoje está entre nós! A arrogância do nosso ser nos impede de chegarmos aos melhores lugares nessa vida. Um coração sábio não pretende entrar em palácios reais de tesouros materiais opulentos como os do tempo de Salomão. Mas deseja se revestir, mesmo fraco e limitado, das virtudes e das grandezas de DEUS. É nesse lugar onde os corações sábios desejam estar e direcionar a vida. A falta de sabedoria nos faz desamparados e envergonhados. Que DEUS, então, habilite-nos à sabedoria, que nos fará eternamente com ELE! Amém! Graças a DEUS! Ora vem, Senhor JESUS!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é líder do Ministério Famílias para Cristo.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s