O coração do homem e da mulher de Deus

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, pois dele procedem as saídas da vida”. (Provérbios 4:23)

 

Hoje me atrevo a escrever sobre um tema que é relativamente caro e ao mesmo tempo muito agradável de abordar: o coração dos que temem e amam o Senhor JESUS. Do coração humano partem todos os objetivos de vida, como o de alcançar a Graça de DEUS. O homem, em sua imperfeição e pequenez, deseja habitar no coração do PAI, por essa razão ele suplica: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto” (Salmo 51:10). Mas é DEUS quem primeiro vai alcançar o coração desse homem. E é por isso que o deseja tanto e ardentemente: “Dá-me, filho meu, o teu coração…” (Prov. 23:26).

O coração vai muito além de um depósito de emoções e sentimentos. Ele é o regente de todas as intenções e comportamento humanos. E dele parte tanto o querer como o executar. Conhecemos o coração do homem através de suas atitudes: “Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Mateus 6:21). Não há meio termo. Tudo o que se processa na mente ou se concretiza exteriormente passa antes pelo crivo do coração: “Mas o que sai da boca, procede do coração, e é isso o que contamina o homem” (Mateus 15:18). A palavra é traduzida do grego “kardia” e aparece em abundância em toda a Escritura Sagrada…

DEUS nos quer e nos deseja de todo o coração. ELE sabe o quanto é imprescindível entregá-lO. Por isso a Sua voz não cessa jamais, em qualquer tempo, acima das circunstâncias e mesmo ante a maior ingratidão do homem: “Dá-me, filho meu, o teu coração…” ELE está agora, nesse exato instante, a nos pedir.

Em todo o estudo você será convidado a refletir sobre essa Verdade e analisar se o seu coração está preparado para ser entregue ao PAI.

E para que DEUS quer e deseja o meu e o seu coração? Para torná-lo puro e limpo do desejo desenfreado de pecar; para que possamos enxergá-lO na mais nítida perfeição do Amor: “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus” (Mateus 5:8). Porque sem ser restaurado pelo Amor de DEUS, o coração humano não é apenas um depósito de sentimentos e emoções, mas é onde também se projeta toda a malignidade do ser: “Perversidade há no seu coração, todo o tempo maquina o mal, e anda semeando contendas” (Prov. 6:14) e “Pois do coração procedem maus pensamentos, assassínio, adultério, prostituição, furto, falso testemunho, blasfêmia” (Mateus 15:19).

O primeiro pecado que o homem cometeu na terra partira do seu coração: “Viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente. Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra, e isso lhe pesou o coração” (Gênesis 6:5-6). A incredulidade de Abraão quando DEUS lhe prometera um filho, mesmo sendo já velho, originou-se da mesma fonte: “Então caiu Abraão sobre o seu rosto, e riu-se e disse no seu coração: a um homem de cem anos há de nascer um filho? Conceberá Sara com a idade de noventa anos?” (Gênesis 17:17). O ódio que brotou em Esaú pelo seu irmão não teve uma origem diferente da de Adão e de Abraão: “Esaú passou a odiar Jacó por causa da bênção com que seu pai o tinha abençoado, e disse ao seu coração: os dias de luto por meu pai estão próximos; então matarei a Jacó, meu irmão” (Gênesis 27:41). Assim também aconteceu com Davi quando do recenseamento de Israel e Judá: “Mas o coração de Davi o acusou depois de haver ele levantado o censo do povo, e disse ao Senhor: muito pequei no que fiz. Porém agora, ó Senhor, peço-te que perdoes a iniquidade do teu servo. Procedi mui loucamente” (2 Samuel 24:10); e a Ananias, quando reteve para si o que pertencia ao Senhor JESUS: “Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Porque formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus” (Atos 5:4). Várias foram às vezes em que JESUS, conhecendo a maldade no coração do povo judeu, o chamou de “raça de víboras”, “néscios”, “tardios de coração”, “dura cerviz” e “incircuncisos de coração”.

A vontade de DEUS para todo ser humano é que ele viva dias de paz, de prosperidade, dias de bênção. Mas o Nosso Criador, mesmo com todo Poder e Soberania, não nos trata como marionetes. Antes de decidir em qual caminho iremos seguir, se caminhos de paz ou caminhos de morte, ELE sonda os desejos mais profundos do nosso coração. DEUS conhece a real vontade do homem, que nem sempre é a que ele professa com os lábios. O livro aos Romanos traz uma perfeita ilustração disso. Pessoas que se diziam cristãs, mas que viviam amarrados na prática do pecado. Pessoas cujo coração sentia grande prazer e alegria em praticar coisas que desagradavam a DEUS: “Pois tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes seus raciocínios se tornaram fúteis, e seus corações insensatos se obscureceram. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos, e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Pelo que Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundície, para desonrarem seus corpos entre si” (Romanos 1:21-24). Se no coração o homem quer verdadeiramente pecar, DEUS não o impede. Mas se ele peca, e em seu coração quer viver livre desse pecado, ainda que não o consiga pelo seu próprio esforço, se ele clamar, se ele buscar continuamente a face de DEUS, Nosso SENHOR lhe dará vitória contra esse pecado. Pois o que DEUS considera é o que está guardado no coração. Por isso, atenda ao chamado do PAI: “Filho meu, dá-me o teu coração…”

É bem verdade que um coração mau pode levar o homem à perdição eterna. Mas, por outro lado, como já escrevemos, um coração puro pode fazer um homem ver a DEUS. Como atingir tal grande dádiva? A purificação começa pela Fé (Atos 15:9) e depende de inclinarmos o nosso coração a DEUS em sinceridade para total arrependimento dos pecados: “Então dali buscarás ao Senhor teu Deus, e o acharás, quando o buscares de todo o coração e de toda a tua alma. Quando estiveres em angústia, e todas estas coisas te alcançarem, então nos últimos dias voltarás para o Senhor teu Deus e ouvirás a sua voz. Portanto, reconhece hoje, e medita em teu coração, que só o Senhor é Deus em cima no céu, e embaixo na terra; nenhum outro há” (Deut. 4:29-30 e 39). A busca por DEUS tem que ser completa, de todo o coração. Se não for assim, de nada terá valido. Alguns judeus, na época em que JESUS caminhou sobre a terra, O adoravam apenas com a boca (com a finalidade de impressioná-lO) e não com o coração, atitude logo verificada e repreendida pelo Filho de DEUS: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim” (Mateus 15:8). Decerto que JESUS nos conhece profundamente, que ELE vai aonde homem nenhum consegue investigar, mesmo quando as nossas atitudes exteriores sejam de uma falsa benignidade. DEUS conhece e sonda também o nosso coração. Você consegue enxergar isso no Salmo 139? Dessa forma, não tarde em entregá-lo. Não hesite em obedecer à voz do Senhor JESUS, que clama: “Dá-me, filho meu, o teu coração…”

Está muito claro que o coração pode condenar o espírito do homem ao inferno; ou, definitivamente, levá-lo para junto de DEUS: “Se com a boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:9-10). Mas observe com muita atenção que o homem não cumpridor dessas coisas é entregue, pelo próprio DEUS, às sujeiras do seu coração, vendo o PAI que ele não quer de jeito nenhum se libertar das algemas do pecado: “Pelo que Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundície, para desonrarem seus corpos entre si” (Romanos 1:24). DEUS permitirá que o coração dos faraós espirituais de hoje seja endurecido para perseguir o incrédulo: “Endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga (…)” (Êxodo 14:4).                       

Aqui, agora, nesse tempo, enquanto você vivo estiver, ofereça a DEUS o seu coração de pedra, impenitente, ferido, contaminado, e clame no mais profundo de suas entranhas: “Dá-me, ó DEUS, um coração obediente, que ama a tua Palavra e sente o prazer de anunciá-la”.  O mesmo DEUS que ouviu o desespero de Davi em oração também estenderá os ouvidos ao seu clamor; e lhe responderá: “Então eu lhes darei um mesmo coração, e um espírito novo porei dentro dele; tirarei de sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne” (Ezequiel 11:19), onde no qual escreverá a Carta de CRISTO (2 Cor. 3:2-3) e fará nele morada: “Louvarei ao Senhor que me aconselha; até de noite o meu coração me ensina. Portanto alegre está o meu coração, e se regozija a minha língua; também a minha carne repousará segura” (Salmos 16:7 e 9). Que DEUS tenha falado profudamente ao seu coração! Amém, Senhor JESUS!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é líder do Ministério Famílias para Cristo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s