A igreja de Cristo e a restauração familiar

“(…) Os filhos das trevas são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz” (Lucas 16:8).

Costumo dizer que se não houvesse notícia no mundo de nenhuma restauração familiar realizada por DEUS; se também não houvesse ministérios, pastores, irmãos que acreditassem no processo de restituição familiar; eu ainda assim acreditaria de toda a minha alma que o casamento para DEUS é um só e que, sendo assim, ELE é o maior interessado em consertar o que antes se fez errado.

Algum leitor cristão poderia me argumentar: mais essa é uma questão de fé, ótica pessoal; podendo uns creem dessa forma e outros não. É verdade. Essa é a minha fé em relação ao que DEUS pensa e quer para as famílias do mundo. É por ela que serei julgado; e não estou nem um pouco temeroso por isso. Digo e repito amparado na Santa Palavra: CASAMENTO PARA DEUS É UM SÓ! Mas há os que também se dizem cristãos que creem que podem, com o apoio de DEUS, se divorciar dos seus cônjuges e contraírem um segundo casamento, estando o primeiro marido ou esposa ainda vivos.

A fé dos cristãos deveria ser apenas uma (“há um só Senhor, uma só fé e um só batismo”. Efésios 4:5); e não uma fé repartida, dividida, como é a fé dos que estão perdidos no mundo. Se há várias fés, apenas uma nos levará ao céu, porque, de fato, só existe uma fé e uma doutrina verdadeiras. Uma pessoa pode crer na existência de vários caminhos que a conduzirá ao Reino de DEUS, mas JESUS foi enfático nessa questão: ”Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). Ou seja, JESUS não anulou a possibilidade de existirem uma infinidade de crenças pelo mundo, muitas até que citam o Nome DELE; mas DEUS irá julgar a humanidade por aquilo que ela acreditou ser verdade. A fé que estiver de acordo com a Palavra, fiel aos conselhos de CRISTO, levará o indivíduo à salvação. A que não estiver fiel aos princípios cristãos, conduzirá à perdição. “De maneira que cada um dará conta de si mesmo a Deus” (Romanos 14:12).

A luta pela restauração de uma família se dá a partir de três pontos os quais considero essenciais: 1) porque eu creio que para DEUS casamento é apenas um; 2) que reconheço diante de DEUS e para o cônjuge que errei e contribuí para que algo desse errado em meu casamento; 3) que DEUS perdoa e é todo poderoso para fazer novas todas as coisas em meu casamento. Portanto, quem não luta pela restauração da sua família é porque não acredita em nenhum dos pontos acima levantados e deseja viver pela sua própria vontade.

Querer o casamento restaurado, a família restituída, deveria ser um alvo primeiro, um marco, um motivo de glória e honra no meio do povo cristão. Denominações cristãs, líderes evangélicos, dogmas, deveriam dar às costas aquilo que é comum ao mundo em termos de família e serem os principais incentivadores incondicionais da restauração familiar. É comum as pessoas do mundo se darem em casamento; e, logo por qualquer motivo que consideram relevante, separarem, divorciarem e se casarem pela segunda, terceira, quarta e até mais vezes. Repito: isso é comum para quem está no mundo; para quem não é nascido em CRISTO JESUS e não guarda os seus mandamentos. Quem cria essa bagunça familiar é satanás na vida dos que não querem olhar para CRISTO e obedecê-LO. As atitudes das igrejas deveriam ser radicalmente contrárias às práticas mundanas. Deveria, mas a realidade é tristemente diferente disso. É muito mais fácil uma pessoa, que sofreu com a destituição de sua família, encontrar outras mundanas, incentivando a lutar pela restauração familiar, a não desistir; do que pessoas que levam consigo o nome de DEUS. Também é muito fácil e comum encontrarmos lideranças totalmente despreparadas para lidar com os sérios problemas conjugais que se surgem na vida de uma pessoa cristã. Sem preparo nem conhecimento bíblico, ouvimos de muitas lideranças evangélicas conselhos do tipo: “seja feliz, procure outro homem”; “ele não tem mais jeito”; “se ele não quer, Deus não vai trazê-lo de volta”; “essa mulher não te merece, siga sua vida com outra pessoa”; “ela te traiu, quebrou a aliança com Deus, não tem mais jeito”; e outras coisas do gênero. O cristão diz acreditar em DEUS, mas ao mesmo tempo limita a capacidade DELE de agir, de realizar. É como se DEUS tivesse poder para curar um cego, fazer um coxo andar, abrir portas de emprego, mas não tivesse, por exemplo, o mesmo poder para restaurar uma família, trazer um marido ou uma esposa de volta para o seu verdadeiro lar.

É certo que o ser humano é livre para fazer ou tomar a atitude que quiser. Como é certo também que foi o próprio DEUS que deu a ele essa liberdade. Mas a liberdade humana, concedida por DEUS, não anula, não é igual nem superior aos propósitos de DEUS. E o maior propósito de DEUS, depois da salvação de vidas, é o de restaurar os lares que ELE um dia uniu e abençoou. Os homens, ao longo do tempo, criaram meios para tentar destruir aquilo que DEUS criou. As leis são os maiores exemplos disso. Há leis que autorizam o aborto, leis que dão direito à pessoa se divorciar e se casar outra vez (tornando-a adúltera para JESUS), até leis que fazem o “casamento” (para DEUS isso nunca foi nem será casamento) entre pessoas do mesmo sexo. Tais leis colocam o homem mais distante dos propósitos de DEUS para a salvação de sua vida e o faz viver de acordo com os seus preceitos e vontades. Mas a lei de DEUS nos ensina exatamente o contrário: que devemos morrer para as nossas vontades, diminuirmos, para que CRISTO habite em nós.

A igreja vai na contramão daquilo que professa como fé, do que está escrito na Bíblia Sagrada. É uma profunda, dolorosa e amarga contradição. Lideranças que ensinam o homem a ser feliz em seu próprio querer, buscando e seguindo as suas próprias ambições, ainda que tenha, com isso, que passar por cima dos conselhos de CRISTO. O tipo de ensinamento que vejo por aí é exatamente assim: “faça o que acha que é certo, que Deus será misericordioso com você”. Um conselho simples e aparentemente correto. As misericórdias de DEUS nos levam a nos reconhecer pecadores, abandonarmos o pecado e a obedecermos a Santa Palavra. Não me dá o direito de permanecer no erro. Se eu sei que estou no erro e não quero abandoná-lo, a misericórdia de DEUS não se fará presente em minha vida: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Provérbios 28:13). Essa é a verdade que deve ser ensinada.

O ser humano ama procurar meios que possam justificar os seus atos falhos. E ele os encontra exatamente na igreja, com o apoio e o consentimento dos que foram chamados por DEUS apenas para ensinar a Verdade, doa em quem doer. A igreja parece que existe apenas para passar a “mãozinha” sobre a cabeça de quem insiste em permanecer no erro, especialmente se essa pessoa tiver um dízimo interessante. Observe o que está escrito no livro do profeta Ezequiel: “se eu disser ao ímpio: ó ímpio, certamente morrerás; e tu não falares para desviar o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniquidade, mas o seu sangue eu o derramarei da tua mão. Mas, quando tu tiveres falado para desviar o ímpio do seu caminho, para que se converta dele, e ele não se converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniquidade, mas tu livraste a tua alma” (33:8-9). O que entendo disso? Que jamais poderei deixar um rebelde, desobediente, morrer em seus pecados, sem mostrar para ele que aquela atitude o levará à morte; pois, se assim eu agisse, DEUS cobraria de mim o sangue dele; e minha alma não estaria livre. O livro de Lucas também nos mostra um exemplo muito interessante da responsabilidade que temos sobre o outro: “o servo que soube a vontade do seu senhor; e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade; será castigado com muitos açoites. Mas o que não a soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. A qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou muito mais se lhe pedirá” (12:47-48). Tiago nos alerta: “aquele, pois, que sabe o bem que deve fazer e não o faz, comete pecado” (4:17). Em sua Primeira Epístola João adverte: “aquele que diz: eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade” (2:4). Quantos hipócritas e mentirosos estão em nosso meio!

Grande será o julgamento para aqueles que foram chamados para fazer e ser a diferença nesse mundo e não fazem nem são! Aqueles que incentivam a separação dos casais e que são a favor do divórcio e do segundo casamento de pessoas divorciadas. Os mesmos líderes, que não ensinam as suas ovelhas o caminho que verdadeiramente devem andar, são aqueles mesmos que afirmam “não tem mais jeito. Desista! Parta para outra pessoa; você merece é ser feliz”. Eu pergunto: que felicidade é essa que conduz a pessoa à destruição da sua alma?

Certa vez, um cristão, em uma cantina de uma faculdade, estava aconselhando uma moça ímpia a não desistir do seu marido, do casamento que estava em crise. Com muita fé, mostrou-lhe o que DEUS pensa a respeito. A moça estava muito feliz ao ouvir tudo aquilo, quando, de repente, aproxima-se uma cristã para participar da conversa. A primeira coisa que saiu da boca da cristã como conselho para a moça ímpia foi “desista do seu marido! Deus não vai mudar a vontade dele se ele não quiser!”. É triste, mas foi verdade! Uma cristã, que nasceu para ajudar o cego a enxergar, contribui mais e mais para o abismo dele. Nosso DEUS afirmou: “O meu povo é destruído porque lhe falta o conhecimento. Porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu o rejeitarei como meu sacerdócio; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. Quanto mais eles se multiplicaram, tanto mais contra mim pecaram; eu mudarei a sua honra em vergonha. Alimentam-se do pecado do meu povo, e da maldade dele têm desejo ardente. Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote. Castigá-lo-ei pelos seus caminhos, e lhe darei a recompensa das suas obras. Comerão, mas não se fartarão; entregar-se-ão à luxúria, mas não se multiplicarão, porque deixaram de olhar para o Senhor” (Oséias 4:6-10).

Se a sua liderança ignora ou distorce os ensinamentos de DEUS para as famílias, mostre a verdade para ela na Sagrada Escritura. Se ela permanecer endurecida em sua soberba e ignorância, afaste-se da tal, e procure outra liderança responsável com a Palavra de DEUS. Mas não se junte nem seja participante dos erros com ela.

Na glória de DEUS só entrarão santos, pessoas que se deram apenas a um casamento, ou a dois, se tiveram se tornado viúvas. Adúlteros não herdarão o Reino de DEUS! Por isso, lutar pela restauração da sua família se faz tão importante; não somente porque dela faz parte a sua salvação, mas também para que o mundo saiba o quanto o Nosso DEUS é infinitamente Poderoso para mover as águas e executar a Sua soberana e perfeita vontade! DEUS nos abençoe!                  

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo. 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

7 respostas para A igreja de Cristo e a restauração familiar

  1. Adriana disse:

    Pastor,

    Realmente, essa fé que limita o poder de Deus ao livre arbitrio do homem, quase destruiu a minha busca pela restauração familiar. Diante do carater do meu esposo e de tudo o que ele vinha fazendo, eu não acreditava que iria mudar sozinho e alguem me falou que Deus só poderia transformá-lo se ele quizesse. Meu primeiro refugio era desistir logo e parar de sofre. Mas comecei a ler a biblia e percebi que sirvo a um Deus tremendo e que ninguem pode impedir o seu agir. O nosso Deus inclina o coração do homem a Seu querer, não obrigando-o a aceitá-lo, mas permitindo que coisas aconteçam na vida dele que o leva a conhecer a Deus e mudando o seu carater.

    Gloria a Deus que não nos deixa enganado e sempre esta apto a realizar o desejo do nosso coração.

  2. Cris disse:

    Eu ouvi pela boca do pai q é pastor a mais de 25 anos, do meu esposo,para q eu o esqueça e arrume outro,fiquei profundamente magoada.Ainda nao encontrei apoio de nenhuma liderança de igreja q siga os verdadeiros preceitos de Deus sobre o casamento.As vezez fiko muito na duvida,penso q nao tem mesmo jeito.Mas graças a Deus sempre leio esses estudos ,oro as vezez mesmo sem vontade;leio a Biblia tento sempre entender o q Deus fala e a sua vontade,nao é facil seguir,as vezes sempre errando mas q acertando.Sei q Deus mesmo assim esta comigo,,,,, Obrigada Jesus! obrigada poe essa Palavra!

  3. Luiz César disse:

    Prezados, paz e bem!

    De fato a fé e a esperança ficam abaladas quando ouvimos da boca de nosso cônjuge que “não dá mais”, que “tudo acabou”, ou “vamos seguir cada um o seu caminho”… são palavras que o maligno planta e tenta nos derrubar, mas não devemos duvidar das palavras de nosso Deus que é maior e todo poderoso. Vejam o que a Bíblia traz no Livro de Josué (Js 1,9) “Isto é uma ordem: sê firme e corajoso. Não te atemorizes, não tenhas medo, porque o Senhor está contigo em qualquer parte onde fores”.

    Não podemos, jamais, deixar de acreditar que Deus irá nos amparar nesta batalha de restauração de nossos matrimônios. Lembremos que esta batalha não é humana “não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.” (Efésios 6,12), desta maneira as armas não são nossas, são do Pai que nos ampara e nos atende em nossas orações.
    Muito bem colocadas as palavras do Pastor Fernando César quando fala dos três pontos essenciais para a restauração de nossos matrimônios, nunca podemos deixar de acreditar que Deus irá agir no coração daqueles que oram e pedem por sua graça.

    Eu acredito na restauração do meu matrimônio, Jesus eu confio em Vós!

    Irmãos, não devemos nos deixar abater quando nos falam “desista, chega, basta, parte para outra…”, são palavras do maligno colocadas nas bocas das pessoas (às vezes pessoas que nos amam e custamos acreditar), mas saibam: não podemos desistir de acreditar na palavra de DEUS.

    LCC

  4. Emerson C. G Silva disse:

    Lí o artigo e fico muito agradecido pelas palavras abençoadas, hoje passo por um processo de buscar a restauraçao de meu casamento, porém, durante muito tempo acreditei que meu casamento havia sucumbido, passei a ser infiel, discussões no lar, falta de diálogo, de carinho… quando minha esposa tomou a iniciativa e pediu o divórcio é que comecei a enxergar sua falta, só consegui abrir os olhos e o coraçao após dor e sofrimento, e percebí que sempre a amei e que minha familia é minha vida! Atualmente minha esposa, que é Cristã, ainda insiste na separaçao que corre na justiça, pois ela acredita que “nao a mais jeito”, porém tenho fé em Deus e em Nosso Senhor Jesus que posso restaurar o que perdi. O caminho está sendo duro, difícil e tortuoso mas não vou desistir. Mais uma vez, obrigado pastor pois ler este artigo nao foi ao acaso. O senhor serviu-me de mensageiro para renovar minhas forças.

  5. Vânia disse:

    A paz de Deus! Eu só passei a acreditar em restauração, quando aconteceu comigo, essa “tragédia” de traição e separação. Como homens e mulheres de Deus, fazem isso? Bom parei de perguntar, e pedi a DEus que Ele libertasse meu marido do laço do passarinheiro. Infelizmente foi a brecha que deixamos. Fico feliz em ver tanta gente clamando pela restauração de seus cônjuges…..E eu junto. Irmãos o Senhor ama as famílias, o cair é do hoamen, o levantar é de Deus! Vamos perseverar, amém? amém!orar, orar e orar.!!!!!Fiquem com Deus.

  6. Maria disse:

    Realmente o que mais ouvi (e de pessoas cristãs) que se ele (meu marido) não quer, Deus não vai trazê-lo de volta. Mas, eu sempre respondo que se ele quisesse, eu não precisaria buscar em Deus a restauração, porque certamente eu não estaria separada, divorciada.
    “Ah Senhor DEUS! Eis que tu fizeste os céus e a terra com o teu grande poder, e com o teu braço estendido; nada há que te seja impossível.” Jeremias 32:17

  7. Luiz César disse:

    Prezados,
    Recomendo a releitura do texto “O que Deus não pode fazer”, do Pastor Fernando que nos foi enviado em 24/05/2011. Trata muito bem desta questão do quanto devemos confiar plenamente em DEUS, que devemos fechar nossos ouvidos para os “amigos” que nos dizem para desistir, deixar de lado, partir para outra e até mesmo dizer “você deve estar preparado para o caso de não acontecer a reconciliação”.

    Ora, tamanha incoerência esta sugestão, pois como posso ter FÉ, confiar em Deus, pedir a ele pela graça da nossa reconciliação e me preparar para não receber a graça? Que incoerente, não?

    Ou confiamos em Deus, na certeza que ELE cumpre sua Palavra, e nos preparamos para aguardar o momento da graça em seu tempo ou não adianta pedir para que Deus opere em nossas vidas, afinal aceitar que não há reconciliação é apenas admitir que o maligo teria vencido o bem.

    Em Cristo.

    LCC
    Brasília-DF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s