A fé dos cristãos e dos ímpios nos Evangelhos

“(…) Quando, porém, vier o Filho do Homem, porventura, achará fé na terra?” (Lucas 18:8).

Por onde andava, JESUS observava a fé das pessoas que O rodeavam. Gentios, discípulos ou mesmo seus apóstolos mais achegados, ninguém escapava dessa observação do Filho de DEUS. Não que JESUS precisasse da fé dos outros para operar os Seus milagres, mas, como a Bíblia mesmo afirma, a fé é um ingrediente indispensável para se agradar a DEUS e que faz toda a diferença na busca pelas vitórias no mundo espiritual.

Fé… uma palavra tão minúscula, de apenas duas letras, mas que muitos, mesmo nos dias atuais, têm grande dificuldade de encontrá-la e de vivê-la.

Vamos passear pelos Evangelhos e descobrir como JESUS classificava a fé daqueles que O seguiam, separando em duas grandes categorias: ímpios e cristãos. Quase não irei emitir comentário pessoal algum. Deixarei que os versículos falem por eles mesmos e que invadam a sua alma. Todas as expressões negritadas ou acrescentadas como efeito de comentário nos versículos são de minha inteira responsabilidade.

A FÉ DOS CRISTÃOS

“Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar uma só hora ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer um deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?” (Mateus 6:27-30);

“Então, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus dormia. Mas os discípulos vieram acordá-lo, clamando: Senhor, salva-nos! Perecemos! Perguntou-lhes, então, Jesus: por que sois tímidos, homens de pequena fé? (…)” (Mateus 8:23-26);

“Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram atemorizados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temas! Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas e foi ter com Jesus (enquanto Pedro olhou para Jesus, ele caminhou sobre as águas). Reparando, porém, na força do vento, teve medo e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! (Pedro deixa de olhar para Jesus e olha para as circunstâncias adversas, o mar revolto. Nesse instante, ele sente medo e começa a afundar). E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: homem de pequena fé, por que duvidaste?” (Mateus 14:25-31);

“Ora, tendo os discípulos passado para o outro lado, esqueceram-se de levar pão. E Jesus lhes disse: Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus. Eles, porém, discorriam entre si, dizendo: é porque não trouxemos pão. Percebendo-o Jesus, disse: por que discorreis entre vós, homens de pequena fé, sobre o não terdes pão?” (Mateus 16:5-8);

“E quando chegaram para junto da multidão, aproximou-se dele um homem, que se ajoelhou e disse: Senhor, compadece-te de meu filho, porque é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e outras muitas, na água. Apresentei-o a teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo. Jesus exclamou: ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-me aqui o menino. E Jesus repreendeu o demônio, e este saiu do menino; e, desde aquela hora, ficou o menino curado. Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular: por qual motivo não pudemos nós expulsá-lo? E ele lhes respondeu: Por causa da pequenez da vossa fé. Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível” (Mateus 17:14-20);

“Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: estou arrependido, perdoa-lhe. Então disseram os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé” (Lucas 17:3-5).

A FÉ DOS ÍMPIOS

“Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, apresentou-se-lhe um centurião, implorando: Senhor, o meu criado jaz em casa, de cama, paralítico, sofrendo horrivelmente. Jesus lhe disse: Eu irei curá-lo. Mas o centurião respondeu: Senhor, não sou digno de que entres em minha casa; mas apenas manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado. Pois também eu sou homem sujeito à autoridade, tenho soldados às minhas ordens e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Ouvindo isto, admirou-se Jesus e disse aos que o seguiam: Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta” (Mateus 8:5-10);

“E Jesus, levantando-se, o seguia, e também os seus discípulos. E eis que uma mulher, que durante doze anos vinha padecendo de uma hemorragia, veio por trás dele e lhe tocou na orla da veste; porque dizia consigo mesma: Se eu apenas lhe tocar a veste, ficarei curada. E Jesus, voltando-se e vendo-a, disse: Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou. E, desde aquele instante, a mulher ficou sã” (Mateus 9:19-22);

“Partindo Jesus dali, seguiram-no dois cegos, clamando: Tem compaixão de nós, Filho de Davi! Tendo ele entrado em casa, aproximaram-se os cegos, e Jesus lhes perguntou: credes que eu possa fazer isso? Responderam-lhe: Sim, Senhor! Então, lhes tocou os olhos, dizendo: Faça-se-vos conforme a vossa fé” (Mateus 9:27-29);

“Partindo Jesus dali, retirou-se para os lados de Tiro e Sidom. E eis que uma mulher Cananéia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoniada. Ele, porém, não lhe respondeu uma palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: despede-a, pois vem clamando atrás de nós. Mas Jesus respondeu: não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. Então, lhe disse Jesus: ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã” (Mateus 15:21-28).

Os textos falam por si mesmos. O que dizer a mais, se os soldados de CRISTO são os primeiros a não ter fé suficiente para vencer uma batalha? Paulo, em uma ocasião, escreveu aos cristãos em Roma: “Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: o justo viverá pela fé” (Romanos 1:17). Ao relembrar os feitos do patriarca Abraão, considerado o Pai da Fé, o apóstolo escreveu nessa mesma Carta: “e não enfraqueceu na fé, nem atentou para o seu próprio corpo já amortecido (pois era de quase cem anos), nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus” (4:19-20). A Bíblia Sagrada nos revela alguns segredos para termos mais fé. Aliás, ela é o caminho gerador de fé em nossos corações: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” (Romanos 10:17). Aqueles homens e mulheres ímpios, que corriam ao encontro de JESUS em busca de conseguirem algum propósito, eram pessoas que assistiam maravilhadas às grandes realizações do Filho de DEUS. E a fé naquele tempo ia se multiplicando entre eles: “se isso aconteceu com fulano, bem pode acontecer comigo. Vou ao encontro DELE”. A fé é o contrário do medo e do duvidar; não é alicerçada em sabedoria humana, mas no poder de DEUS. Vergonhosamente, os ímpios servem de exemplo para muitos cristãos no quesito fé. Raabe, uma prostituta do Antigo Testamento, por meio da fé alcançou a sua salvação e da família: “Pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída com os desobedientes, porque acolheu com paz os espias” (Hebreus 11:31).

Até quando seremos chamados de pequeninos, de raça incrédula, por JESUS? Até quando veremos DEUS abençoar os incrédulos pela simples medida de fé que eles possuem para alcançar o que tanto almejam? Mais de dois mil anos se passaram e o termômetro que mede a nossa fé cristã ainda não explodiu. É hora de atentarmos a um conselho precioso que Paulo nos deixou escrito: “Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou sabeis, quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” (2 Coríntios 13:5). É a fé que nos conduzirá para fora do deserto espiritual e nos fará caminhar nas conquistas. Que DEUS nos abençoe!

FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

3 respostas para A fé dos cristãos e dos ímpios nos Evangelhos

  1. Luiz César disse:

    Senhor,
    Aumenta a nossa fé!
    É tudo que podemos te pedir.
    Amém!

  2. Adriana Sousa disse:

    Nossa! estou passando um desertoooooooooooo enorme na minha vida, e ontem orei chorando (inclusive por causa de saúde) depois abri a Biblía em Mateus e li os mesmissímos versículos que estão ai no blog!!! Os mesmos!!! excetos os outros(Lucas,Hebreus,Corintíos) e fiquei superfortalecida e minha febre foi pro espaço.
    hoje ainda triste por causa de problemas pessoais (quando vem, vem tudo junto….pessoal,saúde,financeiro…)abro o blog e disse pra mim mesma:
    olha o que DEUS falou ontem para mim e torna a repetir hoje pra eu não me esquecer.
    Acalma vento,acalma tempestade, ho! homens de pouca fé!

  3. Luiz César disse:

    Prezados, vejam:
    É a fé que nos conduzirá para fora do deserto espiritual e nos fará caminhar nas conquistas
    Somente pela , com letras garrafais somos capazes de entregar nas mãos de Deus as nossas aflições. Não façamos como Pedro que quando teve FÉ andou sobre as águas, quando focou seu pensamento na insegurança começou a afundar.
    Paz!
    LCC
    Brasília-DF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s